REALIZAÇÃO

abicalçados

PARCERIA

gs1 brasil código de barras

APOIO

Logotipo IBTeC.png
logo-aci.png
0001.jpg

POR QUE INVESTIR EM AUTOMAÇÃO?

Acelerar a operação e reduzir custos para quem vende, o transportador e quem compra.
Para isso, busca-se eliminar camadas de processos que geram retrabalho e perda de tempo no dia a dia para contar, reetiquetar materiais e lançar manualmente registros em programas de computador.
Atende o gerenciamento dos negócios da empresa (comprar, produzir, transportar e vender) e a controladoria (administrativo e contábil). O resultado é a agilidade nas transações comerciais, fundamental para o setor de moda que desenvolve produtos em ciclos cada vez mais curtos: maior variedade, pedidos em volumes menores e frequentes.

produtividade

Velocidade para contar a produção, realizar inventário, embarcar e receber mercadorias, emitir NF-e com correta referência ao pedido (ordem e item de compra), movimentar as mercadorias (rastreabilidade), lançar registros nos sistemas (entrada, saída, fiscal, financeiro e contábil), manifestar o destinatário (SEFAZ) e gerar Blocos H e K (SPED).

reduzir custos

Eliminar retrabalho ao aproveitar a informação que já foi previamente gerada. O que um elo da cadeia faz tem que servir para o próximo.
Toda a empresa identifica, conta, lança, movimenta, paga e vende produtos. Há custos envolvidos em todos estes processos e etapas. Com automação por leitura de código de barras, o tempo da operação é muito menor. Reduz fretes, armazenagem, seguro, entre outros.

efetividade

Evita-se devoluções e erros de entregas provocados por processos manuais de reetiquetagem. Pode-se distribuir ou redirecionar as mercadorias sem a necessidade de armazenagem prévia, ou seja, enquanto está em trânsito (maior giro e menos estocagem - crossdocking). Evita-se lançamentos incorretos, pois a NF-e está de acordo com o pedido.

“O que não é medido não é gerenciado”, William Edwards Deming.

GESTÃO

Ao conferir eletronicamente o que está sendo feito (físico) com o que está no sistema da empresa (virtual), as informações para gerenciar os negócios são em tempo real e com exatidão sobre a contagem de produção, estoques, embarques, comportamento de compras dos clientes (marca, modelo, cor, material, tamanho, etc.). Foco na gestão para resultados, não nos problemas operacionais do dia a dia.

relação comercial

Desburocratiza a relação comercial com fluxos de mensagens automatizadas (catálogo, ordem de compra, pedido, aviso de despacho, NF-e, entre outros), evitando digitações que levam a inconsistências. Melhora os Indicadores-Chave de Desempenho (Key Performance Indicator - KPI) por causa da assertividade nos processos, bem como melhora a busca de produto por referência na internet (sinergia com o marketing).

reposição automática

A adoção de padrões cria uma base sólida para um modelo de negócio no qual a reposição pode ser administrada pelo próprio fornecedor: Inventário Gerido pelo Fornecedor (Vendor Managed Inventory - VMI) aplicado a grupos de produtos em que se permite a reposição automática ou que foram negociados neste modelo.